Olá amigos! Depois de ter recebido meu aparelho através da Fastshop no dia 19/04, com quase um mês de uso, acho que já tenho bagagem suficiente para falar sobre o Motorola RAZR D3. Não esperem aqui um review profundo, pois o que não falta é isso por ai. E como sabem, o Brainbrasileiro.net, é um site que busca falar de forma descomplicada e principalmente, não está aqui para ficar repetindo conteúdo.

O texto que falo da compra e o motivo que me fez sair do Windows Phone, vocês podem acompanhar clicando aqui.

Sem mais delongas vamos lá!

Como vocês viram no link acima, eu abandonei o Windows Phone por um motivo simples. O meu celular estava na versão 7.8 e via que nenhuma novidade significativa estava em seu horizonte. Novos aplicativos, só estão sendo desenvolvidos para a nova versão do sistema e sinceramente, não tem nenhum WP 8 na faixa de preço do RAZR D3 que valha realmente a pena. Me aventurar no Lumia 510? Sem chance. Não tem câmera frontal e não tem flash. Pra mim que curto fotos, isso é um impeditivo muito grande. E aquela história que sempre falam: “Coloca mais R$ 200,00 e pega um Lumia 620…” – Não amigo. Se fosse para colocar mais R$ 200,00 com certeza não seria pra pegar o Lumia 620…

Motorola RAZR D3

Falando em faixa de preço, o RAZR D3 XT 920 Dual Chip (que é o que estou falando sobre) é um aparelho que pode ser encontrado nas principais lojas online com preços que variam entre R$ 670,00 e R$ 740,00. Com alguma sorte, poderá encontrá-lo em promoção por um preço menor para pagamento via boleto.

Eu nunca tinha usado um aparelho dual chip, aliás, sempre tive um certo preconceito (besteira de minha parte), e preferia andar com dois aparelhos, a ter um apenas com dois chips. Más quando vi o Lançamento deles no evento da Motorola, sua configuração bastante honesta e principalmente o preço que eles estavam sugerindo para venda, vi ai a oportunidade certa para voltar ao mundo do robô verde. No evento, foi dito que o dual chip seria vendido a R$ 799,00 e o single a R$ 699,00. Fiquei ansioso para que os aparelhos dessem logo as caras nas lojas físicas, coisa que, até hoje, não aconteceu direito.

Estava doido pelo single chip por dois motivos: O primeiro o preço, claro! Ele seria R$ 100,00 mais barato de acordo com as palavras da própria Motorola e o segundo, eu poderia continuar com minha ~dinastia~ de usar celulares de apenas um chip. Isso infelizmente não aconteceu. Os celulares estavam demorando muito de chegar nas lojas físicas, e nas online, já tinha o dual chip com preços realmente interessantíssimos! Por não ter mais paciência de esperar, acabei pegando o dual e posso dizer que, até o momento que escrevo estas linhas, está sendo um caso de amor 🙂

Para quem não conhece, essa é sua configuração básica:

Modelo: RAZR D3 XT920
Tela: 4” com Gorilla Glass – TFT LCD – 480×854
SO: Android Jelly Bean 4.1.2
Processador: MTK 6577 Dual Core de 1.2Mhz
RAM: 1gb
GPU: PowerVR SGX531
Memória Interna: 4gb (Apenas 2,49gb fica disponível)
Memória Externa: Expansível até 32gb via cartões
Câmeras: Frontal 1.2mpx e traseira de 8mpx

Coloquei acima apenas as configurações básicas, mas caso queira ver mais detalhes, clique aqui.

SOBRE O APARELHO

Embalagem e acessórios:

Impressionante como as caixas com aparelhos vão ficando cada vez menores. Essa não foge a regra. Caixa bastante esguia e sem surpresas ou conteúdo extra. Vem apenas:

– Aparelho
– Cabo de dados
– Adaptador para carregamento USB
– Fone de ouvido
– Garantia e manuais

motorola-razr-d3-1

Aliás, falando em coisas extras, tem uma sim… A Motorola, vendo a dificuldade que ia ser para as pessoas que não tem unha comprida, colocar e retirar os sim cards do aparelho, colocou uma chapinha plástica para facilitar essa operação. Eu, deixo na caixa. Pois sei que no dia tirar pra usar, vou perder com certeza. Destaco aqui negativamente, os fones de ouvido. São de baixa qualidade e do modelo mais simples possível. Más também não deixa de ser compreensível. Um melhor, significaria, um telefone com valor mais alto.

Corpo e tela:

Como podem ver, é impossível olhar pra ele e não lembrar do RAZR I, modelo que tem processador Atom da Intel. Ele é muito parecido, muito mesmo. Mas eu pegar você percebe que é um pouco menor, tem seu corpo totalmente em plástico diferente de seu irmão que tem a traseira em kevlar. Na minha opinião, a pegada excelente, não parece que o aparelho vai cair de minhas mãos e a tela tem tamanho ideal. Ainda falando na tela, ela é boa, não excelente. Em ambientes fechados, ela tem um bom brilho e você não vai ter nenhuma dificuldade em ver nada nela. Porém, em ambientes sob luz muito forte, como o sol, por exemplo, se torna quase impossível enxergar alguma coisa, mesmo com o brilho no máximo. Más nessa faixa de preço, não vem que não tem amigo. Está bom demais.

Motorola RAZR D3 Motorola RAZR D3
Cliquem nas imagens para ver em tamanho maior.

Uma coisa que achei meio chata, é a abertura de colocar e tirar os chips. Ou você tem unha grande, ou se prepare para arranhar esse lugar ao tentar abrir.

Android 4.1.2 Jelly Bean:

Não vou aqui ficar falando do Android. Esse não é o foco desse review. O que posso falar é que, finalmente a Motorola resolveu não modificar drasticamente o OS. Apenas colocou um widget (Circles) que mostra como está a bateria, previsão do tempo, data e hora. Além disso, inseriu um aplicativo para automação de tarefas. Só.

Android-Jelly-Bean

Uma coisa que descobri ontem: No slot 1 para sim card, é onde deve ficar o chip que você pretende usar para dados. Como descobri? Havia reparado que, meu chip da TIM (Tim Beta), só conectava em EDGE e o da Vivo, esse sim, ficava em HSDPA. Bastou mudar de slot e pronto, problema resolvido. Agradeço ao Heraldo Silva, participante do Grupo RAZR D3 no Facebook pela dica! Valeu meu velho!

Tenho a destacar duas coisas aqui: O volume é muito baixo ao ouvir alguma coisa pelo fone de ouvido. E isso não é culpa do fone. A Motorola deve ter feito alguma modificação para que o som não fique alto e com isso, não prejudique nossa audição. Quem não gosta desse exceço de zelo, pode fazer que nem eu. Resolvi esse problema instalando o Music Volume EQ, que pode ser encontrado na Play Store clicando aqui.

Outra reclamação recorrente na internet sobre esse modelo, é a qualidade do áudio gerado nas gravações de vídeo. Confesso que realmente é péssimo! Más também contornei esse problema usando o aplicativo Camera JB+, que pode ser encontrado nesse link na Play Store. O aplicativo é pago e custa R$ 4,99.

Bateria:

Esse aqui é o destaque do aparelho na minha humilde opinião. Me considero um usuário normal de smartphone. Não sou sádico, nem doido. Não vivo conectado full time e só deixo bluetooth, 3g, wifi, sincronização etc ativos, apenas quando realmente vou usar. E usando dessa forma, minha bateria atinge facilmente dois dias e meio. Só por isso, já acho que vale muito a pena. Meu último aparelho Android, era um LG Optimus 2x e não durava um dia inteiro.

Aqui, a Motorola fez um excelente trabalho.

Câmera:

A câmera é boa. Não irá se estressar com as fotos tiradas com ela. E ela ainda tem alguns truques legais como HDR e filma em HD a 720p. A lástima é que esses vídeos são gravados em formato em 3gp e não em mp4.

Seu flash é bom e quebra um grande galho em fotos noturnas. Não colocarei aqui fotos que tirei com ele de teste. Procura no google por “Fotos tiradas com o RAZR D3” e você vai ver a qualidade das mesmas.

motorola-razr-d3-2

Desempenho e jogos:

Com um processador dual core de 1.2Mhz e 1gb de RAM, o sistema simplesmente não trava. Roda liso. Você só vai sentir uma engasgadinha, quando sair da tela principal e passar para a tela lateral que mostra uma sequência de configurações. Fora isso, o Jelly Bean roda liso.

Em jogos, quem realmente conhece hardware, sabe da má fama da GPU PowerVR SGX531. Ela é boa para coisas mais leves. Nem sonhe em entulhar o aparelho com jogos pesadões, pensando que vai jogar tudo, que para azar seu, não vai. Friso de novo que, aplicações mais simples e jogos mais leves a medianos, ok. Mande brasa. Os mais novos, nem tente.

De novo: Pelo preço amigo, está muito bom! A tá achando ruim? Pague mais caro e pegue um RAZR I.

Opinião Final:

Vale a pena comprar o RAZR D3? Sim. Sem sombra de dúvidas. Um aparelho com a versão do Android recente e com promessa de atualização, dois chips, hardware descente e câmera esperta, desculpa, mas não irá achar nada nessa faixa de preço por ai. E não me venha aqui falar nem de Lumia 620 ou pior ainda, o 520, ok?

motorola-razr-d32

O problema agora, está sendo achar o aparelho nas lojas virtuais e quando acha ele nas lojas físicas, está bem salgadinho o preço.

Tem mais dúvidas sobre o RAZR D3? Coloca ai nos comentários, ok?

Espero que tenham gostado a até a próxima.

{}!

Share.

About Author

Baiano que ama tecnologia. Faz aplicações para a web, desenvolve e presta consultoria. Adora um jogo de xadrez e um hold´em. Editor dos antigos expertstech.net e technodia.net

12 Comentários

    • Alex Rodrigues on

      O RAZR I é uma excelente máquina. Se eu tivesse um, não trocaria tão cedo. Só se a oferta fosse muito, más muito boa!

  1. Belo review! Tenho um e estou completamente feliz com ele! haha
    E é verdade sobre a dificuldade pra achar ele em lojas virtuais, passei 5 dias caçando um e finalmente consegui um por 629,90 no boleto!
    Ah Alex, só tem 2 erros no seu texto, que é a parte da câmera frontal e traseira que está trocada e 1.2 Mhz em vez de 1.2Ghz, mas é besteira haha

    • Valeu pelo comentário João! E corrigi a câmera 🙂 Eu também, para comprar foi o mesmo que você. Assim que ficou disponível na Fastshop, fechei os olhos e comprei. Não me arrependo um milímetro!

  2. Pingback: Faça root em seu Motorola RAZR D3 e RAZR D1

Leave A Reply